Central Única de Trabalhadores

CUT e centrais confirmam greve geral no RS contra roubo da aposentadoria nesta sexta

12 junho, quarta-feira, 2019 às 7:31 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Coletiva greve geral 1 (3)

Coletiva greve geral 1 (3)

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (12), na sede da Fecosul, em Porto Alegre, a CUT-RS e centrais sindicais – CTB, Força Sindical, CGTB, Intersindical, CSP-Conlutas, Pública, UGT e CSB – e representantes do movimento estudantil garantiram que Porto Alegre e mais de 150 cidades do interior gaúcho vão parar na greve geral desta sexta-feira (14) contra a reforma da Previdência, o desemprego e em defesa da educação.  

“Com a unidade e a mobilização de trabalhadores e estudantes, vamos parar tudo no Rio Grande do Sul para evitar o roubo da aposentadoria, exigir geração de empregos e impedir os cortes de recursos nas escolas, universidades e institutos federais”, afirmou o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo.

“O que o trabalhador deve fazer é ficar em casa e cruzar os braços. É melhor perder um dia de expediente do que o direito de se aposentar dignamente. Não haverá transporte em muitas cidades, bancos não vão funcionar, escolas e serviços públicos fecharão e assim por diante. Se for pra sair, que seja para participar das manifestações das centrais sindicais e dos movimentos sociais”, afirmou o dirigente sindical.

Nespolo confirmou que, além das paralisações, serão realizados atos unitários, como na capital gaúcha, às 18h, com concentração a partir das 17h, na Esquina Democrática. A mobilização já havia sido anunciada na plenária estadual das centrais com os movimentos sociais.

Plenária centrais (3)

Transporte vai parar

Os metroviários aprovaram paralisação de 24 horas e já estão avisando a população. A partir das 23h59 desta quinta-feira (13), não haverá mais trens circulando entre as estações Mercado e Novo Hamburgo da Trensurb. 

Desde a madrugada, haverá também paralisações de rodoviários de Porto Alegre e da Região Metropolitana, bem como de cidades do interior do Estado, com o apoio das centrais sindicais. “Estamos dialogando com essa categoria de luta que será duplamente prejudicada pela reforma, caso seja aprovada no Congresso”, explica Nespolo, destacando “o fim da linha da aposentadoria especial” a que hoje motoristas e cobradores têm direito em razão das condições insalubres de trabalho.

Bancos, indústria e serviços públicos

Também aprovaram a greve geral em assembleias os bancários representados pelos sindicatos de Porto Alegre, Alegrete, Camaquã, Carazinho, Caxias do Sul, Cruz Alta, Litoral Norte, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Pelotas,, Rio Grande, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santo Ângelo, Vale do Caí e Vale do Paranhana. Isto significará que muitas agências não abrirão as portas para atendimento de clientes.

Na indústria, a mobilização é intensa. Metalúrgicos, sapateiros, trabalhadores na alimentação e petroquímicos garantem participação no movimento. Os sindicatos estão realizando assembleias nas fábricas para decidir a adesão.

O Sindicato dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (Sindsepe-RS) também aprovou greve geral em assembleia.

Em assembleia, o Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) aprovou também que irá aderir à greve geral, a exemplo de vários funcionários municipais de várias cidades do interior do Estado.

Trabalhadores da Saúde anunciaram igualmente que irão fazer paralisações, assim como trabalhadores rurais e agricultores familiares, dentre outras categorias.

Unificou, unificou; o estudante junto com o trabalhador

Após as fortes manifestações de 15 e 30 de maio, professores e estudantes garantem participação na greve geral. Mais de 20 universidades do Rio Grande do Sul suspenderão as suas atividades.  

Em assembleia geral, o CPERS Sindicato aprovou adesão à greve geral, o que afetará as escolas públicas estaduais. O Sinpro-RS está realizando assembleias de professores em cada escola do ensino privado. O indicativo de paralisação já foi aprovado em várias instituições.

O Sindicato Intermunicipal dos Professores de Instituições Federais de Ensino Superior do Rio Grande Do Sul (ADUFRGS-Sindical) também irá aderir à greve geral, além dos técnico-adminsitrativos em educação da UFRGS, da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) e do Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Sul.

Coletiva da greve geral (3)

Atos e manifestações no Rio Grande do Sul

ALEGRETE

9h30 – Concentração na Praça Nova, seguida de caminhada até o Centro.

CAXIAS DO SUL

16h30 – Ato público na Praça Dante.

CRUZ ALTA

9h30 – Concentração na Praça da Matriz.

ERECHIM

14h – Concentração na Praça dos Bombeiros, seguida de caminhada até a frente do INSS.

FARROUPILHA

10h – Concentração na Praça Central.

FREDERICO WESTPHALEN

14h – Concentração na Praça da Matriz.

IJUÍ

9h – Concentração praça da República

LAJEADO

8h30 – Ato na Avenida Piraí, no bairro São Cristóvão, seguido de caminhada até o centro.

OSÓRIO

8h – Concentração no Instituto Federal, seguida de caminhada até o Largo dos Estudantes, onde durante todo o dia haverá atos e manifestações.

PELOTAS

14h – Concentração no Mercado Público, seguida de atos e manifestações.

PORTO ALEGRE

18h – Ato na Esquina Democrática, com concentração a partir das 17h.

RIO GRANDE

17h – Ato no Largo Dr. Pio.

SANTA CRUZ DO SUL

8h – Concentração da Praça Getúlio Vagas.

SANTA ROSA

8h30 – Ato na Praça da Independência.

17h – Aula Pública na Praça da Bandeira, seguida de marcha Luminosa.

SANTO ÂNGELO

9h30 – Concentração da Praça da Catedral;

11h – Caminhada até a agência do INSS;

15h – Mateada da Cidadania junto à Catedral, com apresentações culturais;

19h30 – Aula Pública na URI

TRÊS DE MAIO

9h30 – Concentração na Praça da matriz, seguida de caminhada e ato público da Praça da Bandeira

Card - greve geral (2)

 

Fonte: CUT-RS com Extra Classe