Central Única dos Trabalhadores

Cresol Metropolitana doa cestas básicas para ação solidária da CUT-RS e sindicatos na pandemia

18 junho, quinta-feira, 2020 às 11:07 am

Comentários    Print Friendly and PDF

Cestas da Cresol

Cestas da Cresol

A cooperativa de crédito Cresol Metropolitana está apoiando a campanha de solidariedade promovida pela CUT-RS e sindicatos, que vem sendo realizada durante a pandemia de coronavírus. Nesta quarta-feira (17), a instituição doou 50 cestas básicas de alimentos sem veneno, com arroz, batata, feijão, massa e outros mantimentos adquiridos diretamente da Cooperativa dos Produtores Orgânicos da Reforma Agrária de Viamão (Cooperav).

Nascida nos anos 1990, a partir da organização de produtores da agricultura familiar no Sul do Brasil e hoje presente em 17 estados com mais de 500 mil cooperados, a Cresol foi lançada em Porto Alegre, em maio, como uma alternativa financeira aos trabalhadores desatrelada dos grandes bancos para oferecer serviços mais acessíveis e com juros menores.

Com a oferta da Cresol, mais de 500 cestas básicas foram distribuídas para catadores de materiais recicláveis e outras famílias carentes nos bairros Humaitá, Partenon, Glória e Vila Cruzeiro, na periferia de Porto Alegre. Essas doações, que são frutos da parceria da CUT-RS com o Sinpro-RS, SindBancários, Adufrgs Sindical, Sindipetro-RS, Senergisul-RS, Sindserf-RS e Semapi-RS, totalizaram mais de uma tonelada de alimentos.

Crédito cooperativado para um mundo mais solidário e humano

“A Cresol é mais um elemento importante neste mundo mais solidário e humano que a gente quer, uma vez que ela garante dinheiro, que não é para fazer magia, mas para garantir qualidade de vida para quem mais precisa. As cooperativas de crédito servem para equilibrar essa balança desigual de acesso aos recursos financeiros, que, em nosso pais é quase que monopolizado pelos grandes bancos”, afirmou o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci.

Amarildo de máscara

“Quem tem renda, quem tem salário em dia e carteira assinada, tem que ajudar quem não tem, quem está desempregado. Esse é o espírito da nossa campanha”, explicou o dirigente sindical.

O secretário de Organização e Política Sindical da CUT-RS, Claudir Nespolo, destacou a importância da ação solidária. “Estamos com uma mão ajudando a classe trabalhadora, recomendando o isolamento e o distanciamento social, e com outra mostrando a nossa solidariedade, por meio das doações não só de comida, como também de máscaras de proteção facial”, enfatizou.

Cooperativa fortalece agricultura familiar

O apoio da Cresol Metropolitana ajuda também os agricultores familiares, que carecem de apoio governamental e financeiro de grandes bancos, a viabilizarem as suas safras, através de microcrédito com juros reduzidos.  As doações auxiliam no escoamento da produção, como aponta o conselheiro da Cresol Tenente Portela, Gelson José Ferrari.

“Nós financiamos trabalhadores da produção primária. Neste primeiro período, ajudamos a viabilizar safras de arroz em Eldorado Sul e Nova Santa Rita e outras operações no município de Charqueadas. Não descuidamos também das famílias carentes que precisam, agora mais do que nunca, de segurança alimentar para combater a covid-19”, disse Ferrari.  “Efetuamos a compra das cestas básicas, através dos fundos sociais da nossa cooperativa, frutos das sobras das operações que os nossos sócios realizaram em 2019”, destacou.

“Em momentos de crise econômica, o sistema financeiro tradicional se ausenta, se retrai, pois ele trabalha com avaliação de risco e acaba saindo do mercado. No geral, cooperativas invertem o processo, dão acesso ao crédito a pessoas excluídas”, salientou Ferrari. 

Cestas2

Periferia também precisa de crédito

Morador do bairro Glória, Dênis Cristiano Silva da Silva levou mais de 20 cestas básicas para a associação de moradores do bairro, o Arraial da Glória. Segundo ele, mais de 200 famílias serão beneficiadas.

“Agradecemos muito à Cresol e à CUT-RS pelas doações, pois a prefeitura não está fazendo nada para nos ajudar neste momento de pandemia. Muitas das famílias carentes da nossa comunidade não têm acesso à tecnologia e possuem dificuldades em acessar a internet e, por isso, não conseguem aderir ao auxílio emergencial. Nós ajudamos, mas, ainda assim, muita gente não conseguiu sacar nem a primeira parcela de R$ 600 que foi disponibilizado”, explicou Dênis.

“Na periferia tem muito comércio pequeno, tem salão de beleza, oficina mecânica, mercadinho e eles precisam, sim, de uma linha de crédito para se manter abertos e sobreviver”, completou.

Pessoas recebem

Fora Bolsonaro

Para Amarildo, o coronavírus mostra a ineficácia do governo Bolsonaro em garantir políticas públicas de combate à pandemia. “Esse governo genocida já matou mais de 40 mil pessoas e precisa acabar. Somente com a saída de Bolsonaro voltaremos à gerar emprego e renda”, frisou.  

“O poder público, sobretudo Bolsonaro, não está preocupado com os mais pobres. Querem apenas a reabertura do comércio para não evitar a destruição da atividade econômica. Mas o que realmente importa agora são as vidas humanas. A vida precisa vir antes da economia e não é o que está acontecendo. Os mais de 40 mil mortos da Covid-19 estão na conta do Bolsonaro”, denunciou Amarildo.  

 Assista à transmissão da Rede Soberania, Brasil de Fato e CUT-RS

 

Fonte: CUT-RS com Brasil de Fato