Central Única de Trabalhadores

Congresso dos trabalhadores na Agricultura Familiar do Alto Uruguai debate conjuntura política do país

2 maio, segunda-feira, 2016 às 3:38 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

13124426_235747756782033_2754500431166626587_n

13124426_235747756782033_2754500431166626587_n

O Sindicato Unificado dos trabalhadores na Agricultura Familiar do Alto Uruguai (Sutraf-Au) realizou o seu quinto Congresso, na última quinta-feira (28), na sede da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), de Erechim. Mais de 180 agricultores familiares dos 29 municípios de abrangência do Sutraf, lideranças e representantes de cooperativas e poder público participaram do evento que debateu a atual conjuntura política e econômica do país.

Pela parte da manhã o engenheiro e ex-presidente da Emater/RS, Lino De David, e o deputado estadual Altemir Tortelli (PT), falaram sobre a atual conjuntura  e os reflexos dela para a agricultura familiar. Eles destacaram também o papel dos sindicatos da agricultura familiar nesse contexto.

Visando contextualizar a situação que o país enfrenta com a ameaça de um golpe com o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff aprovado pela Câmara dos Deputados, Tortelli cita o teólogo e escritor Leonardo Boff: “ Se o povo soubesse o que vai acontecer com ele com a volta do neoliberalismo nesse Brasil, faltariam ruas de tanta gente que iria pra elas dizendo que não aceitaria a volta de um projeto neoliberal de nação, de país”.

Para o Lino De David, a experiência democrática do Brasil ainda é muito recente e o atual pedido de impeachment é uma ameaça à democracia. Ele falou que dos anos 2003 a 2013 o Brasil viveu uma época de pleno emprego, recuperação do salário mínimo e intenso crescimento, puxado pelo consumo dos pobres, incluídos nas classes médias. No entanto, de acordo com De David, faltou o governo realizar as reformas necessárias, entre elas, a política, agrária e tributária.

O engenheiro destacou que de 2014 até o momento a economia brasileira desacelerou. Entre os fatores responsáveis, Lino citou a Redução das exportações e o agravamento da crise internacional, que geraram entre outros, inflação e desemprego.

Sobre a atual conjuntura, De David enfatizou há no país dois projetos em disputa: o do capital, que objetiva a redução do tamanho do estado e corte nas políticas sociais, e o projeto democrático e popular, que preza pelo Combate à pobreza e inclusão social. A saída para crise, de acordo com ele, se encontra na retomada do combate à desigualdade de renda e riqueza como princípio de um segundo ciclo de desenvolvimento, com inclusão social.

Após a explanação sobre a conjuntura, o congresso elaborou uma resolução que norteará a atuação do Sutraf-Au para os próximos três anos. Entre os apontamentos do documento está a necessidade de organização de base, da formação e comunicação, além da manutenção e intensificação da defesa do projeto de agricultura familiar na sociedade.

O coordenador do Sutraf-Au, Douglas Cenci, salientou que o congresso aconteceu num momento importante e delicado do país, onde há uma clara disputa de dois projetos de sociedade. Para ele, os desafios são muitos grandes e os sindicatos da agricultura familiar têm papel importante e decisivo para a garantia dos direitos da classe. “Para tal, é preciso qualificação e também, voltar às ruas”, defendeu.

 

Fonte: FetrafRS