Central Única de Trabalhadores

Com unidade das centrais e movimentos sociais, greve geral vai parar tudo no Rio Grande Sul 

11 junho, terça-feira, 2019 às 7:48 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Plenária centrais (3)

Plenária centrais (3)

A unidade e a mobilização das centrais sindicais e dos movimentos sociais irão parar a Capital e o Interior do Rio Grande do Sul na greve geral da próxima sexta-feira (14) contra a reforma da Previdência, em defesa da educação e contra o desemprego. Esse foi o sentimento dos participantes da plenária estadual, realizada no início da noite desta segunda-feira (10), no auditório lotado do SindBancários, no centro de Porto Alegre.

Estiveram presentes dirigentes da CUT, CTB, UGT, CSB, Intersindical, CSP-Conlutas e CGTB. Também compareceram movimentos como MST, Marcha Mundial de Mulheres e Pastorais Sociais da CNBB, e organizações da juventude, como UNE, UEE, UJS, Umespa, Levante Popular da Juventude e coletivos de jovens do PT e PSol, dentre outras.

Plenária centrais3 (3)

Os estudantes garantiram que estarão, desde a madrugada do dia 14, lado a lado com a classe trabalhadora na greve geral. Eles foram protagonistas ao tomarem duas vezes as ruas em maio. No dia 15, os jovens apoiaram a greve nacional da educação, marcada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), que parou o Brasil. E no dia 30, a juventude voltou a se manifestar após a convocação da União Nacional dos Estudantes (UNE), apoiada pelas centrais sindicais, contra os cortes de verbas para escolas, universidades e institutos federais.

Guri da UNE

Ninguém segura a greve geral

O presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, destacou o crescimento da mobilização no Estado nas últimas semanas. Vários sindicatos fizeram ou estão fazendo assembleias de trabalhadores para aprovar a adesão ao movimento. “Ninguém vai segurar os trabalhadores que estão decidindo parar para evitar o fim da aposentadoria, defender a educação e exigir geração de empregos”, enfatiza.

Nespolo ressaltou a disposição de luta dos trabalhadores do setor de transporte. “Não somente irão parar os metroviários do Tensurb, mas também os rodoviários, que estão se manifestando favoráveis à greve geral, sobretudo depois das panfletagens das centrais que alertaram a categoria para “o fim da linha da aposentadoria especial, caso seja aprovada a reforma do governo Bolsonaro no Congresso”.

Plenária centrais1 (3)

Barraca das centrais

As centrais permanecem mantendo uma barraca montada no Largo Glênio Peres, no centro da capital gaúcha, com distribuição de panfletos e coleta de adesões ao abaixo-assinado contra a reforma da Previdência.

“As listas de assinaturas serão entregues ao presidente da Câmara dos Deputados depois da greve geral, mostrando que a população rejeita a proposta do Bolsonaro, apesar da cobertura sem contraponto da mídia tradicional e da propaganda milionária do governo”, explicou o dirigente da CUT-RS.

Plenária das centrais

Concentração e ato na Esquina Democrática

O presidente da CUT-RS anunciou que, no final da tarde do dia da greve geral, as centrais realizarão um ato, às 18h, na Esquina Democrática, com concentração a partir das 17h. O objetivo é potencializar o movimento de unidade das centrais e organizações sociais, na luta contra os retrocessos do governo Bolsonaro.

Plenária centrais2

Coletiva de imprensa

Diariamente, dirigentes das centrais e dos movimentos sociais estão se reunindo para organizar as atividades e preparar a greve geral.

Nesta quarta-feira (12), às 11h, será concedida uma entrevista coletiva para a imprensa, na sede da Fecosul (Rua dos Andradas, 943 – 7º andar), a fim de divulgar como será a greve geral no Estado e ressaltar os motivos que levaram a deflagração do movimento. 

“Não podemos ficar omissos diante de uma reforma que não ouviu os trabalhadores e as trabalhadores, mas acaba com o direito à aposentadoria de milhões de brasileiros e somente atende os interesses do mercado financeiro para aumentar ainda mais os seus lucros bilionários”, frisou Nespolo.

Assista à transmissão feita pela Rede Soberania no final da plenária!

 

 

Fotoss: Marcus Perez – CUT-RS

 

 

Fonte: CUT-RS