Central Única de Trabalhadores

Caminhada Iluminada por mais segurança reúne centenas de pessoas em Porto Alegre

12 março, sábado, 2016 às 9:11 am

Comentários    Print Friendly and PDF

Caminha iluminada

Caminha iluminada

Com velas, lanternas e roupas brancas, pelo menos 400 pessoas, de acordo com a Brigada Militar, caminharam em Porto Alegre na noite de sexta-feira (11) para pedir mais segurança na cidade e em todo o Estado. O ato começou no Parque da Redenção, às 19h, e saiu em marcha pouco depois das 20h em direção ao Palácio Piratini, no centro de Porto Alegre.

O objetivo dos manifestantes, que marcharam de forma silenciosa, era exigir maior atenção e investimento em segurança por parte do poder público. “Acreditamos que é papel dos cidadãos cobrar ações dos entes públicos”, apontou Pedro Loss, um dos organizadores. Desde 2012, ele também realiza a Serenata Iluminada, que acontece na Redenção para denunciar a falta de iluminação e a insegurança, especialmente à noite, além de se propor a ocupar os espaços públicos da cidade.

Esse foi um dos pontos mencionados por Russel Teresinha Dutra da Rosa, que participou da caminhada com sua irmã Suzel e sua mãe Vilma. “Estamos muito travados pelo medo, então essa é a ideia, ocupar os espaços públicos em segurança, ao invés de ficar só trancado em casa”, apontou ela. Vilma mencionou que, quando mais nova, já frequentou o Parque e arredores à noite, mas que atualmente não faria isso devido à insegurança.

Caminhada

Grupo foi até a frente do Palácio Piratini simbolizando cobrança ao governo estadual | Foto: Guilherme Santos/Sul21

Em maior grupo, familiares e amigos de Isabel Dias, morta em um assalto há exatos dois meses, esperam que a situação da segurança melhore para que o que aconteceu com ela não se torne rotina na cidade. “Minha tia foi assassinada e não aconteceu nada com o criminoso. Queremos mais segurança, por isso estamos aqui”, explicou Matheus Dias.

Enquanto se encontravam em frente ao Monumento ao Expedicionário, pessoas de todas as idades, em sua maioria famílias, acendiam velas e debatiam o assunto. Ao sair em caminhada, foram guiadas por uma faixa com os dizeres “queremos segurança na cidade e promover a cultura de paz”.

Policiais civis também foram ao ato, convidados pela organização, para pedir mais investimentos em sua área por parte do governo estadual. “A sensação de insegurança, esse descontrole, a inércia do governo, isso tudo está levando a população a perceber que estamos vivendo uma situação muito séria. Defendemos que a população saia às ruas para cobrar desse governo, que foi eleito para promover saúde, educação e segurança”, refletiu Isaac Ortiz, policial e presidente do Sindicato dos Escrivães, Inspetores e Investigadores de Polícia do Rio Grande do Sul (Ugeirm).

A caminhada saiu pela rua Santana, pegando a Venâncio Aires e a Lima e Silva, onde os manifestantes foram saudados e aplaudidos pelas pessoas que estavam caminhando ou sentadas em bares. A marcha seguiu pela Avenida Borges de Medeiros e Rua Jerônimo Coelho, por onde chegou em frente ao Palácio Piratini. Lá, foram colocadas velas para lembrar dos assassinados devido à violência e insegurança.

Confira mais fotos:

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

11/03/2016 - PORTO ALEGRE, RS - Grupo realiza Caminhada Iluminada. O evento reivindica mais segurança pública na cidade. A luz de velas, participantes caminharam do Monumento do Expedicionário, no Parque da Redenção, até o Palácio Piratini. Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

Foto: Guilherme Santos/Sul21

 

Fonte: Débora Fogliatto – Sul21