Central Única dos Trabalhadores

Brasil tem maior alta na média móvel de mortes por Covid-19 desde maio

18 novembro, quarta-feira, 2020 às 12:43 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Doente3

Doente3

O Brasil registrou, nesta terça-feira (17), um total de 676 mortes e 32.262 novos casos de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, em 24 horas, segundo o balanço divulgado às 20h pelo Ministério da Saúde. Ao todo, o país acumulava 166.743 vidas perdidas para a Covid-19 e 5.909.002 pessoas contaminadas. 

Com esses registros, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias foi de 557, a maior desde maio – variou +45% em comparação a média de 14 dias atrás. Já a média móvel de novos casos nos últimos 7 dias foi de 29.674 (+71% em relação a duas semanas atrás).

No mesmo dia, o Imperial College divulgou dados sobre o aumento na taxa de transmissão da Covid-19 no país. No dia 10, o índice era de 0,68. Atualmente, o ritmo de contágio (RT) pulou para 1,10. Isso significa que cada 100 pessoas contaminadas transmitem a doença para outras 110.

Às 8h da manhã desta quarta-feira (18), o consórcio de imprensa computava 166.758 mortes e 5.909.026 casos confirmados de coronavírus desde o inicio da pandemia, mantendo a alta da média móvel de mortes em 45% em comparação à média de 14 dias.

Em São Paulo, estado mais afetado pela doença desde o início da pandemia, com 1.117.147 casos e 39.311 mortes, médicos infectologistas enviam carta para parentes e amigos alertando sobre o aumento no número de casos, dizendo que hospitais estão lotados e afirmando que, apesar de tudo isso, governos não fazem lockdown por causa do período eleitoral, relata a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo.

“Recomendamos fortemente novo ISOLAMENTO DOMICILLIAR”, escreveram eles, em maiúsculas, segundo a jornalista “Não ir a bares, restaurantes e festas. Não organizem encontros ou eventos sociais. Acreditamos que vocês estejam cansados de tudo isso, mas lembrem-se que nós estamos MUITO mais…. e ainda estamos vendo pessoas morrerem, famílias inteiras contaminadas, e os casos aumentando progressivamente sem nenhuma medida sendo tomada por parte dos governos”, seguem.

Nesta terça, o governador João Doria (PSDB), prorrogou a quarentena em todo o estado até o dia 16 de dezembro. O decreto, publicado no Diário Oficial do Estado, estabelece a possibilidade de suspensão de atividades não essenciais nos termos do decreto nº 64.879, publicado em março deste ano.

No Paraná e em Santa Catarina, hospitais públicos e privados já começaram a adiar cirurgias eletivas, que não têm urgência, para liberar leitos para pacientes com Covid-19.  A capital do Paraná, que acumula 214.210 casos e 5.216 mortes, registrou nesta terça mais 1.500 novos casos de Covid-19 – no total são 60 mil casos. A secretaria da Saúde do estado disse que a suspensão das cirurgias eletivas é temporária, mas não há uma data para retomada dos procedimentos.

Em Santa Catarina, que acumula 260.057 casos e 3.114 mortes, as cidades de Florianópolis, Balneário Camboriú e Itajaí também adiaram as cirurgias eletivas. Criciúma, que também registra aumento significativo do número de internações, também vai adiar. O número de pacientes internados com Covid no estado saltou de 21 para 107 nos dois hospitais da cidade.

Rio Grande do Sul

Foram registrados 71 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, em todo o RS, segundo boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta terça-feira. Com isso, a soma de óbitos desde o início da pandemia no estado sobe para 6.314. 

Conforme a SES, entre os óbitos divulgados, um é de agosto e outros quatro de outubro, que agora tiveram as fichas completadas pelos municípios. Os 66 demais são de datas entre os dias 3 e 17 de novembro.

As vítimas fatais registradas foram registradas em Porto Alegre (23), Pelotas (4), Caxias do Sul (3), Canoas (3), Novo Hamburgo (3), Viamão (3), São Leopoldo (2), Sapucaia do Sul (2), Sapiranga (2), Tapes (2), Gravataí, Alvorada, Rio Grande, Bento Gonçalves, Lajeado, Cachoeirinha, Esteio, Osório, Gramado, Eldorado do Sul, Estância Velha, Vacaria, Três Coroas, São Lourenço do Sul, Novo Barreiro, Arroio dos Ratos, Tapera, Xangri-lá, Fortaleza dos Valos, Selbach, Araricá, Cerro Grande do Sul, Guarani das Missões e Humaitá. 

A pasta informou ainda o registro de 3.708 novos casos da doença, elevando para 283.351 o número de pessoas já infectadas no estado. Entre os confirmados, 262.268 (93%) são considerados recuperados.

A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado estava em 74,6%, às 18h de hoje, sendo 1.887 pacientes em 2.531 leitos de UTI. Já em Porto Alegre, a taxa de ocupação fechou a terça-feira em 86,48%. 

Média móvel de mortes nos estados

A medida móvel de mortes está em alta em 14 estados: PR, RS, SC, ES, MG, RJ, SP, GO, MT, AP, RO, RR, TO e RN.

Em 8 estados e no Distrito Federal, a média móvel de mortes está estável, nem subiu nem caiu significativamente: DF, MS, AC, PA, BA, MA, PB, PE e PI.

Em 4 está em queda: AM, AL, CE e SE

 

Fonte: CUT Brasil e Brasil de Fato RS