Central Única dos Trabalhadores

Brasil se aproxima de 170 mil mortes e já tem mais de 6 milhões de pessoas infectadas pela Covid-19

24 novembro, terça-feira, 2020 às 12:05 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Enfermeiras14

Enfermeiras14

Com novo surto do novo coronavírus em estados como São Paulo e Santa Catarina, e onze estados registrando alta na média móvel de mortes, a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) segue o curso de alta que havia diminuído durante algumas semanas no Brasil.

Até às 8h da manhã desta terça-feira (24), o país registrava 169.541 vidas perdidas para a Covid-19, segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. O total de casos ultrapassou a marca de seis milhões e já são 6.088.031 os casos confirmados da doença.

Em São Paulo, estado mais afetado pela pandemia desde março, com 39.311 mortes e 1.177.147 casos, as internações por Covid-19 voltaram a crescer na última semana. Segundo dados oficiais da Secretaria da Saúde, o aumento nas internações foi de 17% entre os dias 15 e 21 de novembro – na semana anterior, de 8 a 14, já havia aumentado 18%.

No domingo (22), a média móvel de novas internações por Covid-19 em SP chegou a 1.205 hospitalizações por dia. O número é o maior desde o dia 10 de outubro. No início de novembro, a média estava em queda e chegou a ser de 857 internações ao dia. Os dados levam em conta os hospitais públicos e privados.

Na Grande São Paulo, a média móvel atual é a maior desde o dia 6 de setembro: são 727 internações de pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19 por dia na região metropolitana, segundo dados do governo estadual.

De acordo com boletim do município de São Paulo, esta segunda-feira (23) teve o maior percentual de ocupação de leitos por Covid-19 no mês: 49% nos hospitais municipais e 74% nos contratados.

Em Santa Catarina, que no início da pandemia registrou menos casos, o governo flexibilizou as medidas de isolamento para conter a expansão do vírus e o número de casos explodiu e baixou um pouco, o número de casos também voltou a crescer este mês.

O estado, que tem atualmente 327.961 casos confirmados de Covid-19 e 3.494 óbitos – taxa de letalidade em 1,07% -, registrou entre 15 e 21 de novembro pelo menos 129 mortes por Covid-19, média de 1 morte a cada 1h18min. É o total mais alto por semana desde a primeira quinzena de setembro, quando o Estado apresentava queda gradativa de mortes, após ter alcançado o pico, entre 26 de julho e 1º de agosto.

A taxa de ocupação de leitos de UTI da rede pública de Santa Catarina chegou a 81,14% nesta segunda-feira (23) – o mais alto desde o inicio da pandemia, segundo o boletim do governo do estado.

O estado tem 1.416 leitos ativos, dos quais 1.149 estão ocupados, sendo 479 deles por pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19.

Rio Grande do Sul

Com 30 óbitos registrados nas últimas 24 horas, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta segunda-feira, sobe para 6.524 o número de vítimas por covid-19 no Rio Grande do Sul. O estado também já registra 298.670 infectados pela doença, com a confirmação de 1.284 novos casos pela SES. Dos confirmados, 276.366 (93%) são considerados recuperados.

As novas vítimas fatais registradas foram em Canoas (2), Novo Hamburgo (2), Porto Alegre, Caxias do Sul, Gravataí, Alvorada, Erechim, Esteio, Sapiranga, Viamão, Venâncio Aires, Parobé, Guaíba, Taquara, Estrela, Três Coroas, São Marcos, Panambi, Rio Pardo, Cidreira, Arvorezinha, Coronel Bicaco, Santo Augusto, Santo Cristo, Boqueirão do Leão, Augusto Pestana, Toropi e Caibaté

A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado estava em 75, 9%, às 18h de hoje, sendo 1.922 pacientes em 2.531 leitos de UTI. De acordo com o governo do estado, vem se observando um aumento de casos e de internações confirmadas por covid-19.

Em Porto Alegre, a taxa de ocupação fechou a segunda-feira em 87,23%. A Capital chegou a registrar, nesta tarde, 246 pessoas hospitalizadas com confirmação da doença, maior número desde 27 de outubro, em seguida baixando para 243. A cidade apresenta alta nas internações após ter registrado 197 pessoas internadas no dia 5 de novembro.

Dos casos confirmados da doença no estado, 49% são mulheres (145.281) e 51% (153.389) homens. A maioria dos casos compreende pessoas de 30 a 39 anos (67.947casos). Já em relação à raça, a predominância é de pessoas declaradas brancas, com 236.875, seguido de não informados (31.658), pretos (13.797), pardos (10.793), amarelos (4.389) e indígenas (1.158). 

No estado, 18.288 profissionais da saúde foram diagnosticadas com a doença, assim como 10.560 imigrantes e 971 pessoas privadas de liberdade.

Situação no país

Onze estados registraram alta na média móvel de mortes nos últimos sete dias: RS (+79%), SC (+58%), MG (+80%), ES (+55%), RJ (+186%), SP (+98%), GO (+142%), MS (+21%), AM (+27%), RR (+500%), CE (+39%).

Seis estados apresentam quadro de estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente: PA (+6%), RO (-14%), BA (+5%), MA (+5%), PB (-4%) e PI (+11%)

Outros dez estados mais o Distrito Federal apresentam queda: PR (-37%), DF (-16%), MT (-24%), AC (-33%), AP (-20%), TO (-27%), AL (-18%), PE (-27%), RN (-29%) e SE (-17%).

 

 

Foto: Rovena Rosa – Agência Brasil

 

Fonte: CUT Brasil com informações do Brasil de Fato e agências de notícias.