Central Única dos Trabalhadores

Brasil se aproxima de 156 mil vidas perdidas e especialista alerta para segunda onda

23 outubro, sexta-feira, 2020 às 2:55 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Doente1

Doente1

O Brasil registrou 155.975 mortes pelo novo coronavírus (Covid-19) e 5.326.103 casos confirmados da doença, segundo levantamento divulgado às 8h desta sexta-feira (23) pelo consórcio de imprensa. Em 24 horas, entre quarta e quinta-feira, o país registrou 503 mortes.

Apesar da média móvel de novas mortes no Brasil na última semana ser de 493 por dia, uma queda de 19% em relação aos dados registrados há 14 dias atrás, o país deve se preparar para uma nova onda de contaminações do vírus, segundo o neurocientista Miguel Nicolelis, coordenador do Comitê Científico do Consórcio Nordeste.

“Temos que nos preparar agora. Isso significa pensar em fechar o espaço aéreo brasileiro, reabastecer de máscaras, testes, EPIs, medicamentos”, afirmou

Em entrevista ao jornal O Globo, ele afirmou também que o Brasil deve se preparar para uma restrição mais rígida para conter o avanço da doença, assim como vem ocorrendo na Europa.

 “Tudo que faltou no primeiro momento da nossa crise, tem que preparar a população para a possibilidade de retorno de restrições mais rígidas como está acontecendo na França, Alemanha e Portugal”, justificou.

Segunda onda pelo mundo

Os Estados Unidos, país mais atingido no mundo pela pandemia, tem 222.220 mortes e 8,3 milhões de infecções, seguido pelo Brasil, Índia (116.616), México (87.415) e Reino Unido (44.158).

Os Estados Unidos bateram mais um recorde de casos e mortes. Foram registraram 1.124 óbitos causados pelo novo coronavírus em 24 horas, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. É o maior patamar desde 15 de setembro, quando foram registradas 1.288 novas vítimas. O recorde diário é de 15 de abril, quando 2.609 norte-americanos morreram por causa do novo coronavírus.

Nesta quarta, foram registrados também 62.735 novos casos, o maior número desde sexta-feira (18). O recorde de novos infectados (77.362) ocorreu em 16 de julho.

Na Europa, dois terços dos franceses estão submetidos a toque de recolher após recorde de contágio. O aumento de novos casos também foi registrado na Alemanha. Já Irlanda e País de Gales vivem período de confinamento. Retrato que mostra uma situação grave na Europa, que volta a ser o epicentro da pandemia da Covid-19.

Na Grécia, o primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis anunciou, nesta quinta-feira, um toque de recolher em Atenas, Salônica e outras áreas afetadas pela pandemia do coronavírus. 

Portugal também bateu recorde de contaminação e, por isso, três comunidades do norte, com cerca 150 mil pessoas, terão de se reconfinar totalmente a partir desta sexta-feira (23).

A Lombardia, norte da Itália, adotou a partir desta quinta-feira, toque de recolher das 23h às 5h durante as próximas três semanas. A Itália registra quase 10 mil infectados por dia e a Lombardia, onde fica Milão, é a região mais afetada do país, como aconteceu no início da pandemia, em fevereiro e março.

Situação nos estados brasileiros

Apenas três estados apresentam indicativo de alta de mortes: Amazonas, Roraima e Rio Grande do Norte.

Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente (9 estados + o DF): PR, RS, SC, ES, DF, TO MA, PB, PI e SE

Em queda (14 estados): MG, RJ, SP, GO, MS, MT, AC, AP, PA, RO, AL, BA, CE e PE

Rio Grande do Sul

Com 36 óbitos registrados nas últimas 24 horas, conforme boletim da Secretaria Estadual da Saúde (SES) divulgado nesta quinta-feira (21), sobe para 5.518 o número de vítimas por covid-19 no Estado.

O RS também já registra 228.762 infectados pela doença, com a confirmação de 1.430 novos casos pela SES. Dos confirmados, 215.015 (94%) casos são tidos como recuperados.

As vítimas fatais foram registradas nas cidades de Porto Alegre (7), Caxias do Sul (3), Alvorada (3), Canoas (2), Santa Maria (2), Pelotas (2), Esteio (2), Nova Santa Rita (2), Santiago (2), Gravataí, Sapucaia do Sul, Erechim, Sapiranga, Farroupilha, Venâncio Aires, Santana do Livramento, Nova Hartz, Porto Xavier, Santa Bárbara do Sul e Restinga Seca. 

A taxa de ocupação de leitos de UTI no estado estava em 69,1 %, às 18h de hoje, sendo 1.763 pacientes em 2.551 leitos de UTI. Já em Porto Alegre, a taxa de ocupação fechou a quinta-feira em 89,2%.

 

Fonte: CUT Brasil e Brasil de Fato