Central Única de Trabalhadores

Brasil 247 – Emir Sader: Lula contra a barbárie

10 outubro, terça-feira, 2017 às 8:26 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Lula e PT

Lula e PT

A recuperação da democracia no Brasil já não é somente o resgate de um sistema político, já não é mais apenas a retomada do desenvolvimento econômico com distribuição de renda. Já não é apenas a volta do prestígio do país no mundo e o retorno da auto estima dos brasileiros. Já não é somente a refirmação dos programas sociais e dos direitos de todos.

O resgate da democracia no Brasil já é um tema de volta à civilidade e da fuga da barbárie que se está instalando no país. Estamos caminhando para a barbárie em que os trabalhadores não têm mais nenhum direito reconhecido, que vão ter que negociar com os empresários a partir do zero, começando pela própria duração da jornada de trabalho. A terceirização devasta as garantias mínimas que um trabalhador tem para viver com um mínimo de dignidade.

A rede social que tinha sido construída para proteger os mais fragilizados está sendo completamente retirada, jogando quantidade cada vez maior de pessoas – idosos, crianças, antes de tudo – no abandono. As ruas e praças voltam ficar povoadas de gente dormindo e morando ao relento. Cada vez mais pessoas pedem esmolas. Cada vez mais crianças e adultos vendem qualquer coisa nos sinais para tentam receber algo para sobreviver. Voltamos a viver numa sociedade do abandono.

A convivência entre as pessoas está profundamente abalada, pelo ódio disseminado, pela violência, pelo desespero do desemprego, das dívidas. O Estado se retira completamente e deixa que as excludentes relações de mercado comandem a vida e a relação entre as pessoas.

Grandes espaços das periferias das grandes cidades estão entregues aos traficantes, à luta entre as gangues e delas com a polícia. A população pobre se sente completamente desprotegida entre o fogo dos dois lados, e a ocupação dos espaços cotidianos pelos traficantes, a quem é preciso se submeter. E pela ação violenta da polícia e do Exército, que ocupa os bairros com operações de guerra, como se a população pobre fosse a inimiga a abater.

Não existe mais mídia que organize o debate, a formação democrática da opinião púbica. Os jornais, revistas, rádios, TVs são porta-vozes de um partido midiático que ataca o ex-presidente Lula como seu inimigo frontal, dia e noite, com todo tipo de suspeitas, de mentiras, de insinuações. Não dá para confiar em nada do que diz a mídia, tudo está contaminado pela guerra sem limites contra tudo o que representa o povo, a democracia, o Brasil como país.

A retirada mensal de centenas de milhares do Bolsa Família deixa ao desamparo vários milhares de famílias e de pessoas. A impossibilidade de seguir pagando o Minha Casa, Minha Vida faz com que tanta gente devolva a casa que era o seu sonho de vida digna, mas ainda assim continue endividada.

Milhões e milhões de pessoas se endividam cada vez mais, apenas para sobreviver. Em dezenas de milhões de famílias ninguém tem emprego. Milhares de jovens abandonam as escolas. Universidades à mingua, professores com salários atrasados de vários meses.

O golpe instaura no Brasil uma sociedade incivilizada, em que cada um é jogado na situação de se virar por conta própria, para simplesmente sobreviver. O país é destruído na sua sociabilidade e na imagem que cada brasileiro tem de si mesmo e do Brasil.

O resgate da democracia, mediante eleições diretas, democrática e livres já não é apenas a única solução para a crise. É a única via para superar a barbárie em que jogam o país e a todos os brasileiros. É o único caminho para que as pessoas possam desenvolver o mínimo de solidariedade com os outros. Em que cada um possa se sentir amparado, cuidado pelo governo.

O retorno do Lula à presidência do Brasil representa não apenas a volta da democracia, do desenvolvimento econômico com distribuição de renda, o reconhecimento do direito de todos a uma vida digna. Mas representa também a luta contra a barbárie, contra a selvageria que tentar impor como forma de vida para todos. Representa o apelo às soluções coletivas, à organização, à educação e à saúde publica.

O que está em jogo no Brasil hoje não é apenas uma disputa eleitoral entre partidos, entre candidatos. O que está em jogo é se vamos retomar a construção de uma sociedade minimamente civilizada, com o direito à vida, à comida, à casa, ao emprego, à convivência pacífica entre todos, ao invés da guerra de todos contra todos que nos querem impor.

Ter um presidente legitimamente eleito pelo povo, a quem o povo respeita e ama, que cuida do povo, é condição de evitar que o país caia definitivamente na selvageria que o reino do mercado, da vitória do mais forte, que o golpe quer nos impor. Eleger Lula é a vitória da civilização contra a barbárie no Brasil de hoje e de amanhã.

 

 

Emir Sader é um dos principais sociólogos e cientistas políticos brasileiros

 

 

Fonte: Brasil 247