Central Única dos Trabalhadores

Bancários assinam convenção coletiva com Fenaban e acordos aditivos com BB, Caixa e Banrisul

14 outubro, sexta-feira, 2016 às 3:40 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Contraf assina

Contraf assina

A Contraf-CUT, federações e sindicatos assinaram com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) nesta quinta-feira (13), no hotel Macksoud Plaza, em São Paulo, a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2016-2018. O acordo bianual é uma conquista da greve histórica de 31 dias da categoria e prevê 8% de reajuste mais abono de R$3,5 mil, agora em 2016, além de correção de 15% na cesta-alimentação e 10% no vale-refeição e no auxílio creche/babá. Para 2017, os bancários asseguraram reposição integral da inflação (INPC/IBGE) mais 1% de aumento real.

A categoria também obteve outros avanços, como a criação de um Centro de Realocação e Requalificação Profissional nos bancos, com o objetivo de proteger o emprego e evitar as demissões. Abono total dos dias parados de greve, ampliação da licença paternidade de 5 para 20 dias, manutenção do vale-cultura, de acordo com a lei federal, além do modelo de correção bianual também para a Participação nos Lucros e Resultados (PLR).

As entidades sindicais ainda assinaram, no mesmo local, os acordos aditivos específicos com o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal.

Com a assinatura da CCT e dos acordos específicos, os bancos têm até 10 dias para creditar a antecipação da PLR e o abono de R$ 3,5 mil. Na Caixa, os valores serão pagos até o dia 20 de outubro.

Em breve, a CCT e os Acordos Aditivos estarão publicados no site da Fetrafi-RS, na seção Acordos e Convenções.

Roberto von der Osten, presidente da Contraf-CUT e um dos coordenadores do Comando Nacional dos Bancários, avalia que a categoria sai fortalecida desta campanha, uma das mais difíceis dos últimos anos, diante da conjuntura econômica e política do país.

“Foram 31 dias de luta e de muita força numa greve histórica. Os bancários e bancárias da base se aproximaram da campanha. Sentiram confiança que estavam bem representados e isto estimulou e redobrou a coragem dos dirigentes sindicais. É bem verdade que não conseguimos a reposição de inflação, mas conseguimos algo muito maior, a oportunidade de politização e o respeito da categoria que representamos. Se o acordo não é o dos nossos sonhos, está longe também de ser a derrota que os banqueiros desejavam nos impor”, disse Roberto.

“A força da greve e os acertos na tática utilizada pelo Comando Nacional dos Bancários não permitiram que os bancos nos derrotassem. Mesmo numa conjuntura desfavorável, pós-golpe e onde o compromisso dos bancos é com o ajuste fiscal do governo”, destaca o diretor da Fetrafi-RS e membro do Comando Nacional, Juberlei Bacelo.

Banrisul

O pré-acordo coletivo dos banrisulenses foi assinado no fim da tarde de terça-feira (11), na direção-geral do banco, em Porto Alegre. O documento firmado permitiu a agilização do pagamento das verbas garantidas pelos trabalhadores, após 31 dias de greve.

Banrisul assina

Os representantes do Banrisul informaram que a instituição fará três créditos aos funcionários nesta sexta-feira (14): pagamento da regra básica da PLR – de acordo com os critérios definidos na negociação da Fenaban – e a PLR/Banrisul; abono de R$ 3.500 e as diferenças nas verbas de natureza salarial referentes ao mês de setembro.

 

Fonte:  Fetrafi-RS com Contraf/CUT