Central Única dos Trabalhadores

Audiência no TRT-4 abre possibilidade de testagem para covid-19 dos trabalhadores da Saúde no RS

11 julho, sábado, 2020 às 1:31 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Na PUC1

Na PUC1

Em audiência virtual realizada na tarde fria desta sexta-feira (10) no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-4), foi aberta a possibilidade de testagem para covid-19 dos trabalhadores e das trabalhadoras da Saúde nos hospitais públicos e privados do Rio Grande do Sul.

A mediação, presidida pela desembargadora Ana Luiza Heineck Kruse, da Seção de Dissídios Coletivos do TRT-4, é resultado da ação ajuizada na última quarta-feira (8) pela CUT-RS e Federação dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde (Feessers) contra as federações patronais que representam hospitais, santas casas e municípios, cobrando a testagem de todos os trabalhadores da Saúde.

Enquanto compareceram a Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes, Religiosos e Filantrópicos do RS e a Federação dos Municípios do RS (Famurs), a Federação dos Hospitais e Estabelecimentos de Saúde do Rio Grande do Sul (Fehosul) se ausentou. Também participou o Conselho Regional de Enfermagem do RS (Coren), a Procuradoria Geral do Estado e o Ministério Público do Trabalho (MPT).

O presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci, e o presidente da Feessers, Milton Kempfer, apresentaram os motivos e a importância da testagem obrigatória para a covid-19, salientando que o processo de maior eficiência é o tipo PCR, envolvendo os profissionais com e sem sintomas.

Quem salva vidas não pode morrer

Para Amarildo, “os trabalhadores não podem perder mais tempo no aguardo da testagem porque muitos estão sendo contaminados e outros chegando a óbito”. Quatro profissionais já perderam as suas vidas desde o início da pandemia no Estado. “Quem salva vidas não pode morrer”, ressalta o dirigente sindical.

Segundo Milton, “garantir a saúde dos trabalhadores é fundamental para que atuem em segurança e possam cuidar dos cidadãos que chegam aos hospitais e centros de referência”. 

 Trabalhadores da saúde
Foto: Sebastien Bozon/AFP

Os representantes patronais alegaram como problemas a dificuldade operacional e financeira, além da falta de insumos, para efetuar a testagem em todos os trabalhadores.

Após debates, ficou definida a possibilidade de iniciar um processo de testagem. Para tanto, a Feessers deverá encaminhar até quarta-feira (15) uma lista de todos os hospitais referência de grande e médio porte regional, além de UPAs e Centros de Saúde com volume grande de atendimento. A federação das santas casas se comprometeu a examinar as pretensões.

A proposta de priorizar os estabelecimentos referência agradou à procuradora Beatriz Junqueira Fialho, representante do MPT.

Para a decisão quanto à possibilidade do ajuste de um termo de compromisso com relação às testagens, foi marcada uma nova mediação para a próxima sexta-feira (17), às 14h, ficando registrado em ata que será novamente convidada a Fehosul.

Além de Amarildo e Milton, participaram o presidente do Sindisaúde do Vale dos Sinos, Andrei Rex, e os advogados Francisco Scorza, Pedro de Vargas e Alexandre Pastl.

Clique aqui para ler a ata da audiência

Leia mais

CUT-RS cobra testagem para trabalhadores da Saúde em dia de mobilização pelo “Fora Bolsonaro”

CUT-RS e Feessers entram na Justiça e pedem testagem massiva de trabalhadores da Saúde

 

Fonte: CUT-RS com Inara Claro – Feessers