Central Única de Trabalhadores

Atos regionais reúnem milhares de pessoas no interior do RS em defesa da democracia e contra o golpe

1 abril, sexta-feira, 2016 às 4:51 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

pelotascapa

A palavra de ordem “não vai ter golpe, vai ter luta” ecoou no Brasil inteiro e em diversos países do mundo nesta quinta-feira, 31 de março, nas mobilizações em defesa da democracia, da legalidade, dos direitos dos trabalhadores e contra o golpe do impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

No Rio Grande do Sul não foi diferente. Além de Porto Alegre, onde foi realizado um grande ato na Esquina Democrática com a participação de mais de 80 mil pessoas, foram promovidos atos regionais em várias cidades do interior gaúcho.

Milhares de pessoas participaram dos atos ocorridos em Santa Maria, Pelotas, Rio Grande, Passo Fundo, Erechim, Livramento, Ijuí, Santa Rosa e Três Passos, segundo levantamento da CUT-RS.

Organizado em âmbito nacional pela Frente Brasil Popular e pela Frente Brasil Sem Medo, o dia nacional de manifestações aconteceu no aniversário de 52 anos do golpe militar de 1964, que levou a uma ditadura de 21 anos que sequestrou, torturou e deixou um rastro de mortes, desaparecimentos e famílias desamparadas. Golpe, nunca mais!

Pelotas

pelotas2

Mais de 2 mil pessoas participaram da manifestação realizada no Largo Edmar Fetter, no centro de Pelotas. O ato foi seguido de uma caminhada pelas ruas centrais da cidade.

O agricultor Manuel Correia, que estava participando do ato, defendeu as conquistas sociais durante os governos Lula e Dilma, como o apoio à agricultura familiar, programas educacionais e de moradia. “A gente não tinha nada disso antes desses governos”, disse.

 Santa Maria

No centro do Estado, cerca de 3 mil pessoas lotaram a Praça Saldanha Marinho, em Santa Maria.  Após uma caminhada que percorreu as principais ruas do centro, a atividade terminou no Largo da Locomotiva, por volta das 21h.

santamaria

O deputado estadual Valdeci Oliveira (PT) defendeu a legitimidade do mandato da presidenta Dilma e afirmou que as pedaladas fiscais não justificam o pedido de impeachment. “Apenas com uma reforma política poderemos mudar o modo de fazer política”, disse.

Passo Fundo

Munidos de bandeiras e faixas, centenas de pessoas se manifestaram em defesa da democracia, da legalidade, dos direitos dos trabalhadores e contra o golpe do impeachment na Praça do Teixeirinha, no centro de Passo Fundo.

passofundo1

Santa Rosa

Centenas de pessoas também participaram da manifestação em defesa da democracia e contra o golpe em Santa Rosa, na região das Missões. A atividade foi realizada no final da tarde na Praça da Bandeira.

starosa

“O ato foi histórico com muita alegria, música, política, esperança e solidariedade. Saímos todos com as energias renovadas para seguir fazendo o contraponto político e ideológico nesta cidade que é tão marcada pela hegemonia das ideias de uma pequena elite burguesa e que ainda não tem uma tradição de atos de rua. Esse processo de construção, com certeza, vai se refletir nas próximas lutas”, avaliou a secretária da Juventude da CUT-RS, Letícia Raddatz.

 Erechim

Os manifestantes do Alto Uruguai se concentraram em Erechim, na Praça Jaime Lago, onde atacaram os golpistas e saíram em defesa da democracia, da legalidade, dos direitos dos trabalhadores e contra o golpe. O ato organizado pela Frente Brasil Popular contou com a participação de aproximadamente 1.200 pessoas e durou cerca de duas horas.

erechim1

Rio Grande

Centenas de pessoas foram até a Praça  Dr. Pio e participaram do ato “Por mais democracia e por mais direitos.” A coordenadora da regional Litoral Sul da CUT-RS, Doris Nogueira, afirmou que o processo do impeachment, da forma como está sendo conduzido, é golpe. “Esse desrespeito às eleições vai trazer consequências terríveis para a classe trabalhadora”, denunciou. Ela citou alguns dos 55 projetos de retirada de direitos que tramitam no Congresso Nacional. “Nós defendemos os trabalhadores e não vamos permitir retrocessos”, destacou.

rio grande

Santana do Livramento

Na fronteira, mais de 2 mil pessoas participaram do ato binacional em defesa da democracia, dos direitos dos trabalhadores e contra o golpe. A mobilização foi realizada em Santana do Livramento. Houve uma caminhada pela cidade e um ato no Parque Internacional.

livramento2 (1)

Ijuí

Mais de mil pessoas foram até a Praça da República, em Ijuí, e defenderam a democracia, a legalidade e os direitos dos trabalhadores e protestaram contra o golpe do impeachment. “O momento que estamos vivendo é histórico, o Congresso está no caminho de acatar o impedimento sem nenhuma base legal de uma presidenta eleita democraticamente”, disse o coordenador do Sinpro-Noroeste, João Frantz.

ijui2

“Na grande mídia, vemos uma campanha massiva para que estejam no poder aqueles políticos que promoverão a retirada de direito dos trabalhadores. Diante de tantos absurdos, é essencial que saiamos às ruas para mostrar que o combate à corrupção não pode ser seletivo, nem passar por cima da legalidade e da democracia”, ressaltou.

Três Passos

A Praça Reneu Mertz ficou lotada com centenas de pessoas que acompanharam a manifestação em defesa da democracia e contra o golpe em Três Passos. “Foi bastante positivo o ato e conseguimos dialogar com a sociedade”, avaliou a secretária de Política Social da CUT-RS, Cleonice Back.

trespassos (2)

 

 

Fonte: CUT-RS