Central Única dos Trabalhadores

Após greve de 16 dias, TRT-SP determina suspensão das 453 demissões na LG de Taubaté

21 dezembro, segunda-feira, 2015 às 4:47 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Taubaté

Taubaté

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou no último sábado (19) a suspensão imediata das 453 demissões feitas pela LG, em Taubaté (SP) a partir do dia 4 de dezembro. Com a decisão ainda em caráter liminar (provisória), os trabalhadores terminaram a greve após 16 dias de paralisação.

A ação para reverter o corte foi movida pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté. De acordo exigência imposta no despacho do desembargador do TRT, Samuel Hugo Lima, a empresa terá que comprovar por meio de balanços patrimoniais e de resultados econômicos, no período entre 2010 e 2014, que tem tido prejuízos financeiros que justifiquem as demissões dos metalúrgicos na empresa. A liminar não fixa prazo para a LG apresentar tais documentos.

De acordo com a diretora do Sindicato e secretária de Comunicação da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), Claudia Marques, a empresa alegou, na ocasião das demissões, que a crise econômica provocou queda nas vendas do setor de eletrônicos e atualmente utiliza apenas 30% de sua capacidade produtiva.

“Mas a LG não adotou medidas de proteção ao emprego como, por exemplo, o layoff (suspensão temporária de trabalho) ou o PPE (Programa de Proteção ao Emprego). Inclusive, a prefeitura também ofereceu isenção de impostos, mas também foi recusada pela empresa. Por isso, acreditamos que a LG esteja tirando proveito da situação econômica atual no país para agir de má fé com os trabalhadores”, avaliou.

Mesmo com a liminar que suspende as demissões, o Sindicato informou que, por enquanto, os trabalhadores demitidos devem permanecer em casa. “Como o período é de férias coletivas, eles não devem retornar para a LG. A empresa ainda deve definir como vai proceder em relação à decisão do TRT”, afirmou o presidente do Sindicato, Hernani de Oliveira Lobato.

De acordo com a nota publicada pela LG, “a empresa vai cumprir a decisão preliminar nos seus exatos termos e, nesse sentido, suspenderá as homologações e os exames demissionais relacionados à dispensa de 453 funcionários da unidade fabril em Taubaté (SP)”.

 

Fonte: CNM/CUT com informações do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté.