Central Única dos Trabalhadores

Acesse o site Na Pressão e aumenta a luta pela valorização do magistério

4 agosto, terça-feira, 2020 às 5:25 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Valorize o piso

Valorize o piso

Liderados pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação (CNTE) e sindicatos filiados, com apoio da CUT Brasil, os professores estão fazendo campanha no Congresso Nacional e nas redes sociais contra projeto que tenta diminuir o Piso Nacional do Magistério, que deve ser votado na Câmara dos Deputados ainda este mês.

O tema foi retirado da pauta da Câmara nesta terça-feira (4), mas apenas por duas semanas. A CNTE alerta que que é preciso manter a pressão pra não votar o recurso ao mesmo tempo em que os dirigentes tentarão dialogar com o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e demais lideranças partidárias sobre a importância de se manter o ganho real (acima da inflação) para o piso do magistério.

É preciso manter a luta virtual, esta campanha precisa de todos. Por isso, a CNTE e a CUT convocam todos os profissionais da educação, estudantes, pais, mães e todos que defendem uma educação pública e de qualidade no país a pressionar os parlamentares para que não aprovem o requerimento no 108/2011, que propõe a alteração de um parágrafo do Projeto de Lei (PL) 3776/2008, que institui o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) como índice de reajuste do Piso Nacional do Magistério.

Entre no site Na Pressão e exijam que os deputados e deputadas retirem essa proposta da pauta. Conversem com trabalhadores e trabalhadoras da educação sobre novos indicadores que, de fato, podem valorizar a educação pública. Parlamentares, valorizem o piso do Magistério do Brasil!

Professores lutam contra projeto que propõe congelamento de salários

O PL 3776/2008 estava ‘engavetado’ desde que foi apresentado e voltou à discussão após a aprovação do novo Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) na Câmara dos Deputados.

Atualmente, a atualização do Piso do Piso do Magistério está vinculada ao crescimento percentual do valor aluno ano do FUNDEB, sistemática que garantiu ganho real ao piso desde a sua implementação.

Ainda assim, estudos revelam que a remuneração média dos docentes da educação básica representa pouco mais da metade da de outros profissionais brasileiros (não professores) com mesmo nível de escolaridade.

Lembrem aos deputados que educação pública de qualidade se faz com profissionais valorizados.

 

Fonte: CUT Brasil