Central Única de Trabalhadores

Aberta 18ª Feira Estadual de Economia Popular e Solidária em Porto Alegre

6 dezembro, terça-feira, 2016 às 1:13 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

DSC_9502

DSC_9502

Em solenidade ocorrida na manhã desta terça-feira (6), no Largo Glênio Peres, no centro de Porto Alegre, foi aberta oficialmente a 18ª Feira Estadual de Economia Popular e Solidária. A exposição oferece a venda de produtos de artesanato de diversos materiais e técnicas, artigos de vestuário e alimentos da agricultura familiar. O evento vai até o próximo sábado (10), das 8h30 às 20h30.

“A economia solidária tem que deixar de ser vista como uma alternativa quando o capitalismo falha. Ela tem que ser compreendida como a nova economia e como o único modelo econômico para outro mundo, que sabemos que é possível”, afirmou o presidente da Federação dos Metalúrgicos do RS, Jairo Carneiro, que representou a CUT na cerimônia.

DSC_9519

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, lembrou a Lei Municipal nº 11.213, de 2012, que torna obrigatória a realização da Feira. “Tenho muito orgulho de ter sancionado essa lei e proporcionar a realização de um evento como esse, que é tão importante para os expositores e para a sociedade”, afirmou.

Também estiveram presentes os deputados Zé Nunes, Edegar Pretto, Adão Villaverde, Altemir Tortelli e Tarcísio Zimmermann, todos do PT, e Maurício Dziedricki, do PTB. Também compareceu a vereadora Sofia Cavedon, do PT.

DSC_9505

Os representantes da Associação do Voluntariado e da Solidariedade (Avesol), promotora do evento, agradeceram a todos os participantes que dedicaram horas e horas para realizar o trabalho que está exposto, parabenizando, especialmente, as mulheres, que são maioria na Feira. “Sabemos as dificuldades que muitos expositores enfrentam para estar aqui”, frisou Daniela Pimentel.

Agricultura familiar

O coordenador da Fetraf-Sul, Rui Valença, disse que é com atividades como a Feira que se potencializa a economia solidária e se ajuda o Brasil a sair da crise. “Não é fazendo reformas e retirando direitos dos trabalhadores que vamos enfrentar esse grave momento que o país atravessa”, enfatizou.

Rui destacou ainda o trabalho de cada organização que “lutou para ter o seu espaço na Feira” para mostrar e comercializar os seus produtos.

DSC_9514

Representando as agricultoras familiares, Mirian Costa defendeu a necessidade “de fortalecer esse povo”. Para ela, “a maior parte dos alimentos que a população consome é produzida pelos trabalhadores da agricultura familiar”, destacou.

Nesta edição, 20 agroindústrias familiares, ligadas à Fetraf-RS, montaram bancas, onde expõem uma grande diversidade de produtos da agricultura familiar. O público poderá apreciar desde a linha de orgânicos, que incluem geleias, cachaças, sucos e mel, até os tradicionais embutidos, queijos, iogurtes, doces, salgados, bolachas e vinhos.

DSC_9510

Os apreciadores da cultura e da tradição gaúcha ainda encontrarão erva-mate, cuias e lindos artesanatos da linha campeira.

Cultura

A cerimônia ainda contou com a apresentação da Banda Ecos, formada por jovens, numa parceria da Rede Marista de Solidariedade e do Instituto Gerdau.

DSC_9503

 

Fonte: CUT-RS