Central Única dos Trabalhadores

CUT-RS e sindicatos doam cestas básicas para famílias atingidas pelas inundações nas ilhas do Guaíba

15 julho, quarta-feira, 2020 às 5:00 pm

Comentários    Print Friendly and PDF

Ilhas2

Ilhas2

Em solidariedade às famílias atingidas pelas inundações do Guaíba, após a passagem de um ciclone extratropical no Sul do Brasil na última semana, a CUT-RS e sindicatos filiados entregaram, na manhã desta quarta-feira (15), 48 cestas básicas de alimentos para moradores da Ilha da Pintada e da Ilha Grande dos Marinheiros, na divisa de Porto Alegre com Eldorado do Sul.

A iniciativa integra a campanha de solidariedade da CUT-RS, em parceria com o SindBancários, Sinpro-RS, Semapi-RS, Sindipetro-RS e Adufrgs Sindical, que busca levar comida para famílias em situação de vulnerabilidade social, durante a pandemia de coronavírus. Também foram distribuídas máscaras de proteção da Cooperativa de Costureiras Unidas Venceremos (Univens), no bairro Sarandi. 

barco

As cestas básicas trazem produtos de cooperativas de agricultores familiares e são montadas pela Cooperativa Mista de Agricultores Familiares de Itati, Terra de Areia e Três Forquilhas (Coomafitt), que faz o transporte dos alimentos até as entidades sindicais.

“É uma forma de ajudarmos quem perdeu tudo, ao mesmo tempo em que escoamos a produção desses trabalhadores do campo, que encontram pouco ou quase nenhum incentivo público para as suas plantações”, afirmou o presidente da CUT-RS, Amarildo Cenci.

Ilhas1

Sem alimentos, não somos ninguém

Parte dos mantimentos foi entregue ao padre Rudimar Dal Asta, que redireciona tudo o que recebe para o trabalho social que desenvolve junto à igreja Nossa Senhora da Boa Viagem, na Ilha da Pintada. O local funciona como um centro de distribuição de alimentos para as pessoas que perderam suas moradias ou sofreram perdas materiais devido à cheia do Guaíba, cujas águas subiram mais de dois metros acima do nível normal em apenas uma semana.

“Muitas famílias aqui estão sem o alimento diário, como o arroz e o feijão, enfim, aquilo que é necessário para a sua subsistência. Então, esse gesto da CUT-RS e dos sindicatos é extremamente gratificante pra gente e para as famílias das ilhas. Afinal, não temos como combater nem a enchente e nem o covid-19, se não estivermos bem-alimentados e com a imunidade alta”, disse o pároco, que organizava a fila de moradores que se formava para o receber as cestas básicas. 

Na Ilha Grande dos Marinheiros, as cestas foram recebidas pelo irmão Miguel Orlandi, que há mais de 20 anos atua na região, promovendo trabalhos educativos e sociais na Escola Marista de Educação Infantil Tia Jussara.

Ilhas3

“Não somos ninguém, se não nos alimentamos. Todo mundo fica indisposto se não come, o humor muda, tudo muda. E aqui nós temos mais de 150 famílias que estão passando necessidade. Se você entrar 1,5 Km ou 2 km para dentro das ilhas, você encontra gente andando com 1,20 cm de água pela cintura. São essas as pessoas que nós queremos ajudar”, disse o religioso, ao estimar que mais de 150 famílias dever ser beneficiadas com as doações entregues.

“Se a situação de Porto Alegre já é dramática devido ao aumento do número de casos de coronavírus, imagine para essas pessoas que deveriam estar em isolamento social e que agora perderam suas moradias e pertences pessoais. Levar comida para vítimas de enchente é o gesto mais solidário que a CUT-RS encontrou para levar dignidade a essas pessoas”, enfatizou Amarildo.

Assista ao vídeo do presidente da CUT-RS

 

Fotos: Marcus Perez / CUT-RS

 

Fonte: CUT-RS